A impressão nas urnas e a ilusão brasileira da “normalidade”

Destaque Instituto Liberal Publicado em 16/02/2018

Nossa história é marcada por aquilo que Carlos Lacerda chamava de o distanciamento entre o “país real” e as deliciosas e banais ficções construídas para pairar sobre ele. Por mais dignas que essas ficções sejam, em algum momento elas precisam se cruzar com a concretude do real – e é precisamente o que, por vezes, não acontece.

Leia mais no Instituto Liberal.