Fukuyama foi do “fim da História” ao “fim da picada”

Instituto Liberal Publicado em 27/04/2018

O nome do cientista político Francis Fukuyama causou maior frisson quando produziu, em 1989, seu alardeado ensaio “O fim da História”, pontificando o triunfo e universalização da democracia liberal e o réquiem dos grandes conflitos ideológicos e civilizacionais. Nem ele mais está tão seguro disso. A julgar pela entrevista que concedeu à Folha de S. Paulo, porém, o pensador parece continuar selecionando de forma no mínimo questionável suas dúvidas e certezas, distinguindo com base em critérios nebulosos o que pensa ser simples de se afirmar e o que é complexo.

Leia mais no Instituto Liberal.